0800 033.3393 +55 11 97095-1626
Câncer de Pâncreas - Sintomas e Tratamentos

Câncer de Pâncreas - Sintomas e Tratamentos

Publicado por: Wecare Publicado: 07/06/2019 Visitas: 1598 Comentários: 0

Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de pâncreas representa 2% dos casos diagnosticados no país. A maioria dos casos ocorre na região chamada de cabeça do órgão, e seu diagnóstico muitas vezes é realizado em fase avançada. O tipo mais frequente de câncer no pâncreas que ocorre em 90% dos casos, é o adenocarcinoma.

O risco para a doença aumenta com a idade, sendo mais presente após os 50 anos e principalmente entre os 65 e 80, e sua incidência é maior em pessoas do sexo masculino. A seguir, separamos informações necessárias para você conhecer um pouco mais do câncer de pâncreas, sintomas, e quais os tratamentos disponíveis. Acompanhe conosco!

 

O que é câncer de pâncreas

O pâncreas é o órgão responsável não só pela produção de suco gástrico, mas também de hormônios como a insulina. O câncer de pâncreas acontece quando o órgão é acometido por células cancerosas que desenvolvem lesões como o carcinoma ductal, em que as células recobrem ductos pancreáticos por onde o suco pancreático é transportado.

 

Fatores de risco

Mesmo que os fatores de risco aumentem as chances de desenvolver câncer, não é uma regra todos os indivíduos com tais fatores apresentarem câncer de pâncreas, já que pessoas que não se enquadram nessas causas também podem desenvolver a doença. Veja quais os fatores de risco, além da idade, podem levar ao câncer de pâncreas.

Cigarro

O fumo é responsável por 30% das mortes por câncer e é um dos principais fatores de risco para o câncer de pâncreas, assim como o de boca, faringe, laringe, garganta, pulmão e estômago. Há uma relação direta entre a incidência de câncer de pâncreas e o número de cigarros consumido, sendo que fumantes têm de 2 a 6 vezes mais chances de desenvolver a doença em relação à não fumantes.

Obesidade

O excesso de peso é preocupante para a saúde e também é um fator de risco para muitas doenças. Diante do câncer de pâncreas, a obesidade pode aumentar as chances de desenvolvimento em até 20%.

Diabetes II

O motivo para que pessoas com Diabetes tipo 2 tenham maior chance para desenvolver câncer de pâncreas ainda não está claro. Uma hipótese é que, grande quantidade de células cancerosas expressam receptores de IGF-1 (proteína produzida no fígado em resposta ao hormônio de crescimento), que assim como a insulina, estão aumentados em pacientes diabéticos.

Histórico familiar

Assim como outras doenças, o câncer de pâncreas pode estar relacionado a hereditariedade, devido à mutação em alguns genes.

 

Sintomas do câncer de pâncreas

Em geral, no estágio inicial, o câncer de pâncreas não apresenta sinais e sintomas. Quando estes se manifestam, podem variar de acordo com a localização do tumor. Os sintomas mais frequentes são a falta de apetite, perda de peso e icterícia.

A icterícia é causada pela obstrução ou invasão do ducto colédoco (que faz a drenagem da bilirrubina). Por lesões na cabeça do pâncreas a bilirrubina aumentada começa a passar em vasos sanguíneos, acumulando-se em tecidos e resultando na pele e olhos amarelados. Confira outros sintomas importantes:

  • dor em abdome e lombar;
  • náuseas, vômito e indigestão;
  • cansaço;
  • coceira na pele;
  • coágulos sanguíneos;
  • desenvolvimento repentino de diabetes;
  • urina escura e fezes claras.

 

Diagnóstico

O diagnóstico é feito a partir dos sinais e sintomas. São solicitados exames laboratoriais como de sangue, urina e fezes, e também tomografia de abdome, ressonância nuclear das vias biliares e pâncreas e ultrassom de abdome. Assim que identificado, realiza-se a biópsia do tumor para que o diagnóstico seja confirmado e para a definição do tratamento.

 

Tratamento

O câncer de pâncreas tem grandes chances de cura se descoberto precocemente. Seu tratamento pode variar de acordo com o tipo de tumor, localização, estágio em que se encontra e estado geral de saúde do paciente.

A cirurgia isolada pode conceder um tratamento com intenção de cura nas fases iniciais, e o mais indicado nesses casos é a ressecção (retirada do tumor). Muitas vezes, faz-se necessário também a complementação do tratamento com quimioterapia e radioterapia, sendo realizadas antes ou após o procedimento cirúrgico.

Gostou destas informações? Que tal dividir os conhecimentos sobre câncer de pâncreas com seus amigos? É só compartilhar este conteúdo em suas redes sociais!

Fontes:

https://www.hcancerbarretos.com.br/cancer-de-pancreas

https://www.einstein.br/doencas-sintomas/cancer-pancreas

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/cancer-de-pancreas

Produtos relacionados

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts