Vendas: 0800 033.3393 +55 11 97095-1626
Câncer e sexualidade: Precisamos falar sobre sexo

Câncer e sexualidade: Precisamos falar sobre sexo

Publicado por: Wecare Publicado: 02/07/2018 Visitas: 4267 Comentários: 0

As taxas de cura e sobrevida dos pacientes oncológicos vêm crescendo bastante e isso tem atraído o foco para a importância do bem-estar de quem enfrenta ou enfrentou a doença. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o sexo é um dos quatro pilares da qualidade de vida. Apesar disso, questões referentes à sexualidade são pouco abordadas no universo oncológico em geral. É preciso valorizar a importância da vida sexual para o paciente e esclarecer o impacto do câncer e do seu tratamento sobre as funções sexuais e apontar alternativas aos potenciais transtornos que possam surgir.

A maior parte dos pacientes oncológicos passa por um período de falta do desejo sexual. A rotina do tratamento e os efeitos colaterais físicos e psicológicos decorrentes da doença acabam influenciando nesse aspecto da vida dos pacientes. Nesse momento, é preciso procurar apoio e informação sobre o tema.

A cumplicidade e intimidade entre os parceiros fará toda a diferença nestas situações. A sinceridade em relação aos sentimentos e sensações pode ser uma grande aliada e facilitar a quebra de tabus que envolvem o assunto. Falar com a equipe médica sobre sexo, tirar dúvidas e expor conflitos é fundamental. O auxílio psicológico também tem muito a contribuir neste cenário.

O pessoal da Abrale (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia) separou algumas dicas sobre o assunto:

  • Durante o tratamento, é possível que o paciente sinta dores e/ou incômodo no momento do sexo. Testar diferentes posições pode tornar o momento mais íntimo e agradável.
  • A falta de libido e o tratamento pode causar secura na região da vagina, o que também torna o sexo menos prazeroso. Os lubrificantes podem ajudar bastante. Converse com seu médico e veja qual o mais indicado.
  • Como muito se fala por aí, as preliminares muitas vezes são consideradas até melhores que o ato sexual em si. Então abuse dos carinhos, faça uma boa massagem. Curta e se entregue neste momento a dois.
  • Não se preocupe tanto com o orgasmo. Essa pressão atrapalha o desempenho e prazer.
  • A comunicação é um dos principais fatores para que essa situação desconfortável vá embora de uma vez. Se abrir com seu parceiro ou com alguém muito próximo, seja um familiar ou amigo, poderá te trazer a segurança e conforto necessários.
  • O sexo definitivamente está liberado durante o tratamento. Mas é muito importante se cuidar e usar métodos contraceptivos, como a camisinha ou anticoncepcionais. Veja com o especialista qual a melhor opção para você.

Fonte: Abrale

 

 

Produtos relacionados

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.