0800 033.3393 +55 11 97095-1626
Os alimentos proibidos durante o tratamento do câncer e o que comer para se sentir bem

Os alimentos proibidos durante o tratamento do câncer e o que comer para se sentir bem

Publicado por: Wecare Publicado: 03/07/2018 Visitas: 42821 Comentários: 3

Alimentação é um ponto de atenção de todos. A comunidade científica já tem como evidência que, uma dieta pobre em frutas, verduras, legumes e com excesso de alimentos embutidos, gordurosos e ultraprocessados podem interferir na qualidade de vida. Essa lógica é observada também na nutrição dos pacientes oncológicos: o tratamento do câncer nem sempre exige uma dieta específica, porém é preciso redobrar a atenção com o que é colocado no prato.

A base da alimentação para o paciente com câncer deve ser a mais saudável possível. Exceção àqueles com restrições alimentares causados por doenças crônicas, como diabetes ou hipertensão, a dieta deve seguir um padrão equilibrado de fibras, carboidratos, proteínas e vitaminas. E evitar ao máximo produtos que podem até mesmo interferir no tratamento do câncer.

Neste artigo você poderá conferir o que deve ser excluído da dieta do paciente oncológico, dicas de ingredientes e receitas para colocar no prato:

Alimentos não indicados durante o tratamento

Se fossemos detalhar cada alimento em específico, este artigo se tornaria um manual da alimentação, por isso vamos falar sobre os tipos de alimentos. Abaixo você verá os tipos de alimentos não indicados durante o tratamento do câncer.

Alimentos ultraprocessados

O excesso de sal, açúcar e substâncias como nitrito e nitrato pode prejudicar a saúde do paciente oncológico com a formação de radicais livres (moléculas instáveis que, se juntar várias, podem causar alterações genéticas e ocasionar doenças como o câncer).

Outro fator é que esses alimentos podem aumentar a obesidade e a gordura visceral, fatores de risco para doenças com o câncer de mama e que podem atrapalhar o tratamento. Por isso, evite alimentos ultraprocessados como biscoitos doces e salgados, refrigerantes e salgadinhos.

Segundo classificação da OMS (Organização Mundial da Saúde), o consumo de carne processada, como salsicha, presunto, bacon e linguiça, é um fator de risco para o desenvolvimento do câncer colorretal, tal qual o tabaco e o amianto são para outros tipos de tumor.

O paciente oncológico, portanto, deve evitar esse tipo de alimento não somente para não atrapalhar o tratamento, como também para reduzir o risco de recidiva (ter novamente um câncer).

Bebidas alcoólicas

Pacientes oncológicos podem consumir bebidas alcoólicas dentro de algumas condições - porém, é recomendável que seja evitado o máximo possível. O consumo dependerá do tipo de câncer e dos efeitos colaterais no organismo, pois o excesso de bebidas alcoólicas é relacionado ao surgimento de tumores na mama, cavidade oral e fígado.

Se houver feridas na boca, garganta ou em alguma parte do trato digestivo (como esôfago ou estômago), o álcool pode agravar esse quadro e por isso deve ser evitado.

Caso essas condições não estejam presentes, é importante também conversar com o oncologista responsável para saber se pode haver alguma interação medicamentosa do tratamento quimioterápico com o consumo de bebidas alcoólicas. Todas essas condições são importantes de serem respeitadas para que o tratamento do câncer não sofra interferências negativas.

Após todos esses pontos, se o paciente oncológico estiver apto a consumir bebidas alcoólicas, deve ser respeitado o limite diário de doses, que no caso do homem pode ser até duas e entre as mulheres uma dose, entre opções como vinho e cerveja.

As recomendações variam entre o sexo pois a mulher tem menor índice de água no corpo, logo demora mais para diluir os efeitos do álcool, deixando o componente por mais tempo em seu corpo. E quanto mais tempo o álcool estiver no organismo, maior o risco de causar danos em algum órgão ou mesmo no cérebro, além de aumentar a pressão sanguínea.

Alimentos feitos sob fritura

O ato de fritar um alimento pode ser prejudicial à dieta do paciente oncológico. Alguns alimentos, quando expostos ao óleo gorduroso para o aquecimento de sua temperatura, pode gerar substâncias potencialmente cancerígenas – como as batatas e outros carboidratos. Nesse processo, o óleo ainda pode formar outra substância perigosa e cancerígena, chamada acroleína.

Além disso, o consumo de alimentos fritos também pode aumentar o LDL (sigla em inglês para lipoproteína de baixa densidade, conhecido como “colesterol ruim”) podendo provocar um acúmulo de partículas de colesterol nos vasos de circulação sanguínea. O excesso desse quadro pode ocasionar doenças muito graves, como infarto ou um AVC.

Alimentos Açucarados

O consumo de alimentos com muito açúcar também deve ser evitado durante o tratamento do câncer. Isso se deve porque o excesso do ingrediente pode levar a quadros como a obesidade, que é relacionada a alguns tumores como na mama e no trato digestivo. Além disso, o modo como o organismo processa a glicose do açúcar também é um ponto de atenção, pois essa substância pode danificar estruturas celulares.

Converse com um nutricionista e verifique alternativas saudáveis para cortar alimentos com excesso de açúcar. Não será preciso erradicar esse elemento da dieta, mas sim buscar fontes saudáveis como frutas.

Dicas de alimentação durante o tratamento oncológico:

Se a dieta do paciente já teve removida os alimentos não indicados durante o tratamento do câncer, chegou a hora de saber o que pode ser um importante aliado durante esse momento da vida.

Estudos científicos demonstram a relação de evitar certos tipos de câncer com uma dieta saudável, rica em frutas, verduras, legumes e cereais, com a proporção adequada de fibras, proteínas e carboidratos.

Durante o tratamento oncológico, portanto, é ainda mais importante seguir hábitos alimentares saudáveis, para garantir mais qualidade de vida e melhorar o organismo a combater a doença.

Durante a quimioterapia ou radioterapia, efeitos colaterais podem surgir. Além de medicamentos indicados pelo médico, alguns alimentos também podem ajudar a inibir ou reduzir essas reações.

É importante sempre conversar com uma equipe multidisciplinar, com figuras como médico e nutricionista, que podem orientar de maneira individualizada ao paciente.

Se o paciente tiver vômitos ou náuseas

Caso reações como vômitos ou náuseas venham a ocorrer durante o tratamento oncológico, o paciente deve aumentar o fracionamento das refeições (com menor intervalo entre elas) e evitar ingerir líquidos durante as refeições.

Evite alimentos muito condimentados, gordurosos ou com excesso de açúcar. Intercale pratos líquidos com os sólidos, principalmente sopa de legumes – além de variar nos ingredientes, para que possa aumentar o apetite. Se houver ausência de paladar, utilize ervas e especiarias para acentuar o sabor dos alimentos.

Se o paciente tiver diarreia

O quadro de diarreia, independente da pessoa estar ou não em um tratamento oncológico, requer a ingestão de bastante líquidos, para evitar a desidratação. Modere no uso de temperos, mesmo os tradicionais como sal e cebola.

Devem ser evitados alimentos com característica laxante, como laranja, mamão, leite (e seus derivados), verduras e grãos integrais. Substitua por alimentos obstipantes, como banana prata, maçã, melão, melancia, goiaba e limão.

Se o paciente tiver constipação

Caso ocorra o quadro de constipação durante o tratamento do câncer, o paciente deve aumentar o consumo de sucos com frutas laxantes, como laranja, mamão e ameixa, além de ingerir mais alimentos ricos em fibras, principalmente verduras e grãos integrais).

Se o paciente estiver com a boca seca

Durante a quimioterapia, o paciente pode enfrentar o quadro de boca seca. Nesse momento será importante ingerir pequenas quantidades de líquidos com bastante frequência, além de consumir pratos líquidos como sopas, caldos e molhos.

Se o paciente estiver com feridas na boca (mucosite oral) ou dor para engolir

Quando a garganta ou o trato digestivo estiver trazendo muita dor para ingerir alimentos, deve ser evitado alimentos considerados “irritantes”, como os ácidos e condimentos. A consistência dos pratos deve ser alterada de sólida para pastosa.

A alimentação é muito importante para todos, e em caso de pacientes com câncer o cuidado deve ser maior. Por isso que resolvemos desenvolver este artigo.

Essas dicas vão ajudar o paciente oncológico a ter mais qualidade de vida durante o tratamento oncológico, pois podem reforçar o organismo, reduzir os efeitos colaterais e dar mais disposição a enfrentar essa luta!

Aproveite e leia também: Os problemas de pele durante o tratamento oncológico

Produtos relacionados

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts