0800 033.3393 +55 11 97095-1626
Quimioterapia Vermelha - O que é e como funciona?

Quimioterapia Vermelha - O que é e como funciona?

Publicado por: Wecare Publicado: 10/06/2019 Visitas: 857 Comentários: 0

Conhecida por seus pacientes pela sua coloração avermelhada, a quimioterapia vermelha utiliza medicamentos que atingem naturalmente essa cor após sua diluição. Além dela, a quimioterapia branca, como é chamada a que contém medicamentos transparentes, também é utilizada no tratamento para câncer.

Muitos podem associar a quimioterapia vermelha a efeitos colaterais intensificados. No entanto, cada organismo é responsável por responder de formas distintas, desmistificando essa informação.Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre o que as pessoas chamam de quimioterapia vermelha, as substâncias que a formam e os efeitos colaterais mais comuns. Confira conosco!

 

O que é quimioterapia vermelha?

Trata-se de um tipo de quimioterapia conhecida por sua coloração avermelhada, muitas vezes utilizada sozinha em pré-operatórios, pós-operatórios, ou em metástases. Seu uso é mais comumente observado em combinação de tratamento, com a presença de mais de um medicamento.

Quais os principais medicamentos utilizados nessa quimioterapia?

Os medicamentos usados na composição da quimioterapia vermelha fazem parte do grupo das antraciclinas (antibióticos antitumorais). São a Doxorrubicina e Epirrubicina, ambos contendo "rubi" em seu nome, palavra pela qual a quimioterapia também pode ser popularmente conhecida.

 

Quais as indicações para o uso da quimioterapia vermelha?

A Doxorrubicina e Epirrubicina são indicadas para o tratamento das neoplasias a seguir:

  • câncer de mama e ovário;
  • câncer de pulmão;
  • câncer de bexiga;
  • câncer na tireoide;
  • câncer no pâncreas;
  • câncer do reto-sigmoide;
  • sarcoma ósseo e de tecidos moles;
  • linfoma de Hodgkin e não Hodgkin;
  • neuroblastoma (câncer nas glândulas adrenais);
  • tumor de Wilms;
  • leucemia linfoblástica aguda;
  • leucemia mieloblástica aguda.

 

Quais são os efeitos colaterais mais comuns?

Existe a crença de que essas substâncias são as que mais provocam efeitos colaterais. Entretanto, eles podem variar de um organismo para outro. Por isso, vamos explicar com mais detalhes as principais.

Queda de cabelo

Durante o tratamento, a queda de cabelo é um dos efeitos colaterais que mais aflige os pacientes, mesmo que não seja permanente, já que a autoestima está envolvida.

Na quimioterapia vermelha esse efeito é um dos mais comuns, e pode acontecer com a maioria dos indivíduos. Ainda assim, após o fim do tratamento, os cabelos voltam a crescer normalmente, auxiliando o paciente a recuperar sua aparência anterior ao início da quimioterapia.

Náuseas e vômito

As náuseas e vômitos também são muito comuns na quimioterapia vermelha devido à sensibilidade do sistema digestivo às medicações, podendo levar o paciente ao vômito.Tal efeito colateral é um grande incômodo e pode variar sua intensidade de um organismo para outro.

É recomendado que o paciente fique por esse período longe da cozinha durante o preparo das refeições, evitando desconfortos como estresse estomacal, desorientação e tonturas. Outra dica para livrar-se desses efeitos são:

  • realizar mais refeições em menores quantidades;
  • priorizar alimentos frios;
  • ingerir alimentos secos;
  • optar por alimentos de fácil digestão;
  • manter-se hidratado.

Inflamações na boca (mucosite)

A mucosite é uma inflamação da região interna da boca e garganta desenvolvida durante o tratamento com quimioterapia vermelha. Sua inflamação pode levar à formação de úlceras dolorosas e feridas nas regiões orais.

Para evitar esse efeito que causa grande incômodo, é importante manter a higiene oral em dia, escovando os dentes com pasta que contenha flúor. Lembre-se também de passar fio dental de forma suave, evitar alimentos ácidos e afins. Caso já tenha desenvolvido algumas feridas, pode-se utilizar analgésicos e anestésicos locais. Chupar gelo durante a quimioterapia também pode trazer alívio. Você também pode utilizar o Oralcare Gel, que é um gel desenvolvido com o propósito de aliviar o incômodo na mucosa da boca e tratar esse efeito colateral.

Fadiga oncológica

A fadiga durante tratamento quimioterápico não é do tipo que pode ser resolvida com uma boa noite de sono. Ela pode persistir durante um bom tempo, e acontece em consequência da interferência das medicações no metabolismo.

A sensação de fadiga pode ser acentuada em alguns casos, dificultando a qualidade de vida do paciente em atividades simples, como tomar banho, subir escadas ou fazer uma pequena caminhada. Contudo, essa condição pode ser amenizada com algumas alternativas, como exercícios físicos sob orientação, descansos programados e medicações.

Você pôde entender um pouco mais sobre a quimioterapia vermelha e conhecer seus componentes e efeitos colaterais. Que tal deixar seus amigos também por dentro dessas informações? É só compartilhar esse post em suas redes sociais!

Fonte:

www.minhavida.com.br/saude/materias/11540-quimioterapia-vermelha-entenda-como-funciona-e-efeito-colaterais

/www.femama.org.br/2018/br/noticia/voce-sabe-a-diferenca-entre-quimioterapia-branca-e-vermelha-

www.oncoguia.org.br/conteudo/mucosite/1333/109/

https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-epirrubicina/bula

Produtos relacionados

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts