0800 033.3393 +55 11 97095-1626
Conheça os principais sintomas para identificar um câncer de pele

Conheça os principais sintomas para identificar um câncer de pele

Publicado por: Wecare Publicado: 14/11/2019 Visitas: 150 Comentários: 0

Conhecer os sintomas do câncer de pele pode ajudar a identificar uma possível manifestação da doença, que tem mais de 170 mil casos no Brasil por ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

É o tipo de câncer com maior incidência no país, porém com uma baixa taxa de mortalidade, principalmente nos casos não-melanoma e com diagnóstico precoce.

O câncer de pele é o crescimento anormal de células tumorais nessa parte do corpo. A doença é causada principalmente pela exposição da pele desprotegida ao sol – mas o câncer pode surgir em áreas da pele cobertas ou que não foram expostas diretamente aos raios solares.

No artigo anterior a este falamos tudo sobre o câncer de pele. Neste vamos nos aprofundar nos tipos e como identificar através dos principais sintomas do câncer de pele.

Os tipos de câncer de pele

Existem três principais tipos de câncer de pele: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma. Conheça um pouco mais sobre cada um deles:

Carcinoma basocelular

O carcinoma basecular origina-se nas células basais da epiderme (uma das camadas que compõe a pele), responsáveis por fazer a renovação do tecido e por isso passam frequentemente por um processo de divisão celular intensa.

"Carcinoma" é o nome dado a qualquer câncer que se desenvolveu em um tecido como pele ou mucosa.

Carcinoma espinocelular

O carcinoma espinocelular surge na camada mais externa da epiderme, sendo mais comum em regiões como rosto, orelhas, lábios e no pescoço. Outros locais de origem são feridas antigas ou cicatrizes em alguma parte do corpo.

Geralmente, o carcinoma espinocelular, apresenta-se na forma de um nódulo duro na pele com superfície escamosa, embora possa também formar uma úlcera. A doença desenvolve-se ao longo de meses. 

O carcinoma espinocelular tem maior probabilidade de se espalhar para outras partes do corpo do que o carcinoma basocelular

Melanoma

O melanoma é o tipo mais agressivo do câncer de pele. Seu nome é devido ao local onde se origina: nos melanócitos, células que produzem melanina, pigmento responsável em dar cor à pele.

É possível reduzir as chances de desenvolver um câncer de pele ao limitar ou reduzir a exposição à radiação dos raios ultravioletas (UV).

Importante sempre verificar sua pele para encontrar possíveis mudanças suspeitas que podem ajudar a detectar um câncer de pele nos estágios iniciais. O diagnóstico precoce do câncer de pele aumenta as chances de sucesso no tratamento para mais de 90%.

Onde se desenvolve

O câncer de pele costuma aparecer principalmente nas regiões da pele mais expostas ao sol, como o rosto, couro cabeludo, orelha, pescoço, braços e mãos.

A doença também pode ocorrer em áreas que raramente veem a luz do dia, como embaixo das unhas das mãos e dos pés, nas palmas da mão ou mesmo na região genital.

Esse tipo de câncer pode atingir pessoas de todas as cores de pele, mesmo nas de tons mais escuros.

Outros fatores de risco da doença são o bronzeamento artificial, histórico familiar (quando há mais de um caso de câncer de pele na família) e idade, pois quanto mais tempo de vida mais tempo a pessoa estará exposta ao sol e sua pele mais sensível.

Como identificar os principais sintomas do câncer de pele

Agora que é possível entender em quais regiões do corpo o câncer de pele pode surgir, é preciso saber reconhecer os sintomas que podem indicar o surgimento da doença. Principalmente nos casos de câncer de pele melanoma, onde a doença é mais agressiva e pode ser metastática (se espalhar para outros órgãos), o diagnóstico precoce ajuda a aumentar as chances de cura e garantir mais qualidade de vida ao paciente.

A principal forma de autoexame hoje para identificar um possível sinal de câncer de pele é conhecer a regra ABCDE. Cada letra representa uma característica para se avaliar em uma pinta ou sinal no corpo, pois podem representar o crescimento de células tumorais que podem formar uma doença agressiva como o melanoma.

O câncer de pele pode ser uma doença silenciosa no início, mas alguns sinais podem representar o surgimento da doença, variando de acordo com o paciente e a localização do tumor.

Ter algumas dessas alterações não significa necessariamente que a pessoa está com câncer, mas sim que é necessária a avaliação de um médico especialista, pois cada caso deve ser sempre analisado de maneira individual e personalizada.

A – Assimetria

A pinta no corpo deve ser “dividida” ao meio e, se os dois lados dela forem iguais, significa que ela é simétrica. Em caso contrário, ou seja, uma metade for diferente da outra, pode ser classificada como assimétrica e por isso é necessária a avaliação de um especialista.

B – Borda

As bordas da pinta devem ser lisas. Se forem irregulares, com as bordas recortadas semelhantes ao desenho de um mapa, podem ser suspeitas e exigir a avaliação de um médico.

C – Cor

A cor da pinta pode ser suspeita se ela for muito fora do padrão – é considerado normal a pinta que apresentar cores que vão do marrom escuro ao claro. Se for notado tons diferentes, como vermelho, preto, branco, cinza ou azul, deve ser encaminhado à avaliação de um dermatologista.

D – Diâmetro

Todas as pintas devem ter, no máximo, o diâmetro de 0,6cm. Caso ultrapasse esse tamanho, é necessário que um especialista avalie.

E - Evolução

Se a pinta se alterar ao longo do tempo, seja crescendo, seja mudando de cor ou mesmo suas bordas, também é caso para a avaliação mais precisa de um dermatologista.

Outros sintomas

Além da regra ABCDE do câncer de pele, há também outros sintomas que podem estar relacionados ao surgimento da doença, principalmente no caso do carcinoma espinocelular e do carcinoma basocelular.

  • Manchas na sua pele que persistem por mais de duas semanas;
  • Uma pinta no corpo que cresça, cause coceira, sangramento ou que mude de cor, tamanho e formato frequentemente;
  • Ferida que demore mais de um mês para cicatrizar;
  • Uma mancha de nascença que teve alterada a cor, tamanho ou espessura.

Se você tiver algum desses sintomas, procure um médico para uma avaliação mais precisa. Essas características nem sempre significam a ocorrência do câncer de pele, mas merecem atenção.

Leia também: Conheça as formas de tratar o câncer de pele e quais precauções devem ser tomadas durante tratamento

Como se prevenir

Os sintomas do câncer de pele são uma demonstração direta da exposição do paciente aos fatores de risco da doença. Por isso é importante se prevenir sempre dessa doença. Sempre que estiver exposto ao sol é importante o uso de filtro solar – mesmo nos dias nublados, onde também há a incidência de raios ultravioletas.

Além do protetor, vestimentas leves e adereços como chapéus e óculos de sol também podem ajudar na prevenção do câncer, protegendo a pele da exposição direta dos raios solares ao corpo.

Em casos de diagnóstico do câncer de pele, é importante entender como será a vida do paciente nessa etapa. Quais as recomendações de cuidados diários, como se preparar para enfrentar esse desafio e como é feito o tratamento da doença.

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts