0800 033.3393 +55 11 97095-1626
[INFOGRÁFICO] Outubro Rosa – Mês de prevenção ao câncer de mama

[INFOGRÁFICO] Outubro Rosa – Mês de prevenção ao câncer de mama

Publicado por: Wecare Publicado: 15/10/2018 Visitas: 236 Comentários: 0

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum em mulheres no Brasil, representando mais de 28% entre todos os casos de câncer, e só perde para o câncer de pele não melanoma. Ele possui diferentes estágios de evolução e, se o diagnóstico for feito ainda nas fases iniciais, as chances de cura são grandes (aproximadamente 95%).

Em Outubro acontece o Outubro Rosa, o mês de prevenção e conscientização ao câncer de mama. A importância dessa conscientização aparece quando se constata que ainda existem muitos casos diagnosticados em estágios avançados da doença, quando o tratamento se torna mais complexo.

Para ajudar na compreensão do tema preparamos um infográfico com algumas informações importantes, confira abaixo.

infografico-outubro-rosa

Atualmente, somente 2% dos casos são diagnosticados em mulheres mais jovens do que 35 anos. A maior incidência de diagnóstico é acima dos 55 anos. Porém, no momento do diagnóstico, a doença já pode estar numa fase avançada.

É altamente recomendável manter uma rotina de autoexame e, detectando qualquer anormalidade na mama, deve-se fazer uma mamografia para averiguar. Hoje, você vai aprender mais sobre o câncer de mama, a prevenção e o diagnóstico.

 

Quais são as causas do câncer de mama?

Existem tipos diferentes de câncer de mama e falar das causas de cada um é um assunto delicado. Até hoje, a ciência ainda não conseguiu definir uma causa exata para o câncer, mas sim fatores de risco que podem influenciar no desenvolvimento da doença.

Portanto, podemos dizer que o câncer de mama é decorrente de uma série de fatores de risco, que podem incluir os seguintes pontos:

 

Alcoolismo

O consumo de bebidas alcoólicas está claramente relacionado ao aumento do risco de desenvolvimento de vários tipos de câncer. Quanto maior o consumo, maior o risco.

 

Obesidade

Estar obesa ou acima do peso após a menopausa é um dos fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver a doença. Porém, a relação entre obesidade e câncer de mama é delicada.

Existem casos onde o risco aumenta quando há ganho de peso após a vida adulta, enquanto outros casos, como quem sempre esteve acima do peso desde a infância, podem apresentar um risco menor.

 

Sedentarismo

Ser sedentária é outro fator que aumenta o risco de desenvolver câncer de mama. Para ter mais saúde de forma geral, é essencial realizar, no mínimo, 30 minutos de atividade física por dia.

 

Ter filhos após os 30 anos

Para alguns tipos de câncer de mama, ter filhos após os 30 anos aumenta o risco de desenvolver a doença, enquanto que para outros, qualquer gravidez já aumenta esse risco. Ter filhos quando jovem ou ter muitas gestações diminui, de forma geral, os riscos de desenvolvimento do câncer de mama.

 

Controle de natalidade

Os métodos mais conhecidos de controle de natalidade também têm uma relação com o aumento do risco de desenvolver câncer de mama. Os anticoncepcionais oferecem um aumento nesse risco em relação às mulheres que nunca os utilizaram. Porém, o risco volta ao normal após a interrupção do uso desses medicamentos.

Já no caso da Depo-Provera, alguns estudos analisaram a relação entre este método contraceptivo e o aumento do risco de câncer de mama. O risco diminui após 5 anos da interrupção do uso.

No caso do DIU, esse tratamento também usa hormônios que podem aumentar os riscos de desenvolver câncer de mama. Estudos mostram a ligação entre as substâncias do tratamento e o risco do câncer de mama.

 

Procedimentos hormonais

Tanto reposições hormonais quanto terapias hormonais podem aumentar o risco de desenvolver câncer de mama. O ideal é que a mulher converse com o médico antes de fazer o uso de qualquer um desses tratamentos.

 

Não amamentar

É comprovado que a amamentação diminui o risco de se desenvolver câncer de mama, especialmente se essa amamentação acontecer por um período de 1 ou 2 anos contínuos. Mães que não amamentam têm o risco de câncer de mama aumentado.

 

Quais os tratamentos para o câncer de mama?

O Outubro Rosa não é apenas sobre conscientização e prevenção, mas também sobre informação. Por isso, é importante que você saiba quais são os tratamentos mais utilizados para os casos mais comuns de câncer de mama.

Entre esses tratamentos, estão:

  • Cirurgia: a maior parte das mulheres passa por cirurgia para remoção do tumor. Dependendo do tipo de câncer e do estágio da doença, a cirurgia pode ser conservadora ou total.

  • Radioterapia: tratamento local para eliminar completamente as células cancerosas.

  • Quimioterapia: tratamento via oral, intravenosa, subcutânea ou injetável. Tem o mesmo objetivo da radioterapia, porém, com medicamentos ao invés de radiação.

  • Outros: podem incluir terapia alvo e terapia hormonal, dependendo das condições da doença, do paciente e do tipo de câncer de mama.

 

Como prevenir o câncer de mama? Campanha do Outubro Rosa

Além do diagnóstico, o segundo principal propósito do Outubro Rosa é a prevenção. É sim possível trabalhar de forma preventiva contra o câncer de mama ao adotar uma postura inversa aos fatores de risco.

Sendo assim, as recomendações para prevenir o câncer de mama são:

  • Manter-se no peso ideal

  • Manter uma alimentação saudável

  • Praticar atividade física regularmente

  • Evitar álcool

  • Não fumar

  • Amamentar

  • Evitar métodos contraceptivos (dê preferência ao uso da camisinha)

  • Evitar reposição hormonal após a menopausa

 

Essas são formas de diminuir os riscos e prevenir o câncer de mama. Além de seguir essas recomendações, é muito importante que você compartilhe o Outubro Rosa com seus amigos e familiares.

O diagnóstico pode salvar vidas, e tudo pode começar com o autoexame. Basta examinar a própria mama e verificar alterações, caroços, colorações diferentes e pontos doloridos.

Compartilhe essa informação e ajude a conscientizar mulheres e também familiares, para que, de alguma forma, o diagnóstico precoce possa ser realizado e as chances de cura sejam altas.

 

Fontes:

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/tratamentos/15/12/

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/cancer-de-mama-tem-95-de-chance-de-cura-se-diagnosticado-precocemente/11292/7/

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/fatores-de-risco-para-cancer-de-mama-relacionados-ao-estilo-de-vida/1377/1128/

http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/cancer-mama.asp

http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/estimativa-2018.pdf

http://www.inca.gov.br/outubro-rosa/como-prevenir.asp

http://www.cancer.org/cancer/breast-cancer/risk-and-prevention/lifestyle-related-breast-cancer-risk-factors.html

https://www.cancer.org/cancer/breast-cancer/understanding-a-breast-cancer-diagnosis/breast-cancer-survival-rates.html

https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/especial-publicitario/albert-sabin-hospital-e-maternidade-de-atibaia/dicas-de-saude-com-hospital-sabin/noticia/cancer-de-mama-tem-95-de-chance-de-cura-se-diagnosticado-precocemente.ghtml

 

Produtos relacionados

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts