0800 033.3393 +55 11 97095-1626
Quimioterapia Branca - O que é e como funciona?

Quimioterapia Branca - O que é e como funciona?

Publicado por: Wecare Publicado: 12/06/2019 Visitas: 1321 Comentários: 0

O tratamento quimioterápico é o mais conhecido entre as pessoas que lutam contra o câncer. Muitas vezes temido pelos efeitos colaterais, o procedimento pode ser mais ou menos agressivo dependendo do organismo de cada paciente. Mas você sabia que há mais de um tipo de quimioterapia? Para muitos pacientes, a quimioterapia branca é o tipo que causa reações fisiológicas mais amenas.

Mas será mesmo que a quimioterapia branca é mais branda? Qual a diferença dela para a quimioterapia vermelha? É o que vamos descobrir neste post:

 

O que é quimioterapia branca?

Para entendermos o que é quimioterapia branca, devemos conhecer o outro tipo: a vermelha. Ambas são largamente utilizadas no tratamento contra o câncer e se diferenciam pelas cores, planejamento adotado pelo médico, medicamentos utilizados e órgãos afetados pelo câncer.

A quimioterapia vermelha utiliza medicamentos do grupo das antraciclinas. Tem como principais representantes a doxorrubicina e a epirrubicina, responsáveis pela cor avermelhada desse tipo de quimioterapia. É muito utilizada em tratamentos de câncer de mama, mas também de estômago, bexiga, ovário, sarcomas, carcinoma tímico, leucemias e linfomas.

Já a quimioterapia branca tem essa denominação apenas para contrapor ao "vermelho", já que seus medicamentos têm cores variadas, mas ficam incolores quando dissolvidos. No tratamento contra o câncer de mama, esse tipo de quimio aparece três meses após o início com a quimioterapia vermelha.

Embora tenha um amplo espectro de tratamentos, a quimioterapia branca não é indicada para qualquer tipo de neoplasia. Ela deve ser utilizada como tratamento complementar do câncer de mama e também para tratar câncer de cabeça e pescoço, ovário, útero, bexiga, próstata, esôfago, pulmão de células não pequenas e sarcoma de Kaposi. Também pode contar com tratamentos auxiliares nos casos de ovário, útero e cabeça e pescoço.

Esse tipo de tratamento é contraindicado para pessoas alérgicas aos componentes, grávidas e quem sofre com alterações nas funções do fígado, rins, sangue ou sistema nervoso.

 

Quais as principais drogas utilizadas?

As drogas mais utilizadas na quimioterapia branca são:

  • taxol;
  • ciclofosfamida;
  • docetaxel;
  • gencitabina;
  • vinorelbina.

O taxol, pó de coloração branca e alta toxicidade, é indicado para o tratamento do carcinoma avançado de ovário, câncer de mama, de pulmão de células pequenas e sarcoma de Kaposi. O medicamento contém paclitaxel, agente com atividade antitumoral.

A ciclofosfamida, também chamada de Citoxan, Neosar, Genuxal, Citofosfana e Endoxan, é um medicamento que atua em um grande espectro de neoplasias. Linfomas malignos (estágios III e IV), mieloma múltiplo, leucemias, adenocarcinoma do ovário e retinoblastoma podem ser tratados com esse medicamento. Também pode ser usada para tratar patologias autoimunes e imunopatias não específicas.

O docetaxel é indicado para o tratamento pós-cirúrgico de pacientes com câncer de mama operável e cujas células cancerosas já atingiram os linfonodos. Também trata câncer de mama metastático, de pulmão de células não pequenas, ovário, próstata, de cabeça e pescoço e adenocarcinoma gástrico.

A gencitabina é recomendada para o tratamento de câncer de pulmão de células não pequenas, de bexiga e adenocarcinoma do pâncreas localmente avançado ou metastático, de mama metastático ou recorrente. Pode ser usado isoladamente ou combinado a outras substâncias da quimioterapia branca.

A vinorelbina é uma solução injetável usada para o tratamento de recidiva de câncer de mama em estágio avançado e de pulmão de células não-pequenas.

 

Quais os efeitos colaterais mais comuns?

A quimioterapia branca é considerada mais branda porque as antraciclinas, compostos da vermelha, são mais ácidas e costumam ser agressivas às veias periféricas, como as da dobra do braço e do dorso da mão. No entanto, as reações vão depender bastante do organismo do paciente.

Outra vantagem da quimioterapia branca é que a maioria dos seus efeitos colaterais passa em poucos dias e não requer intervenção médica. Os mais comuns são:

  • redução da defesa do organismo contra infecções;
  • doenças do sistema nervoso (neuropatias);
  • redução dos glóbulos brancos;
  • dores nas articulações;
  • ressecamento da pele;
  • queda de cabelo;
  • diarreia;
  • vômito;
  • náusea.

O docetaxel também pode apresentar efeitos secundários:

  • retenção de líquidos;
  • neuropatia periférica;
  • dores musculares;
  • paladar alterado;
  • fadiga;
  • anemia.

Como você viu, a quimioterapia branca pode ser usada como tratamento complementar ao câncer de mama ou como principal em diversos tipos de neoplasia. Embora seja conhecida entre os pacientes pelos sintomas menos agressivos, apenas o oncologista saberá informar se esse é o tipo ideal para o seu caso. Portanto, caso tenha dúvidas sobre os resultados dos medicamentos, converse com seu médico.

Entendeu como a quimioterapia branca funciona e afeta o organismo? Compartilhe este post nas redes sociais e auxilie outros pacientes a entender sobre o assunto!

Fontes: Femama, Minha Vida, Oncocentro, Hospital do Câncer de Barretos, Consulta Remédios, Anvisa, News Medical.

Produtos relacionados

Posts relacionados

Comentários

Escreva o comentário

Veja todas Últimos Posts